Artigos

Atividades Lúdicas - Aprofundando o Desenvolvimento de Habilidades Individuais e Coletivas em Escolas, Cursos e Faculdades

Data de Publicação :: 11/03/2020
Por Tábata de Morais

Aplicação de Atividades Lúdicas na Educação


Brincar é muito mais do que um momento de descontração e divertimento, é uma forma de comunicação. As brincadeiras constituem modos de assimilar realidades, condicionar comportamentos e desenvolver habilidades individuais e coletivas. É importante, pois facilita a assimilação nos processos de memorização e aprendizado – e se aplicado com frequência, os educadores podem observar evolução no potencial da criança.

Atividades Lúdicas na Educação

Para a pedagoga Maria Montessori, “a criança é um ser em criação. Cada ato é para ela uma ocasião de explorar e de tomar posse de si mesma, ou, para melhor dizer, a cada extensão a ampliação de si mesma”. É através da organização e reorganização, criação e recriação dos próprios parâmetros por meio de novos aprendizados que as crianças formam o seu entendimento de mundo e de si mesmas. Deste modo, as atividades lúdicas colaboram com um método de aprendizado maleável e não competitivo. Pelo contrário, o lúdico preza por uma atividade prazerosa, estimulando a motivação para atingir objetivos, por meio de seus desafios e surpresas. Em sua permanente elaboração, é bastante eficaz para ensinar regras sociais, cidadania, lógica, memória, criatividade, além de habilidades físicas.

Capoeira Atividade Lúdica

As atividades lúdicas comumente são empregadas mais no ensino de crianças de 0 a 5 anos de idade, onde elas aprendem a sociabilizar com seus colegas, cultivar relações de confiança e afeto, além de desenvolver suas funções motoras e de linguagem. Nesta fase é muito comum o egocentrismo e as atividades lúdicas também ajudam a criança a compreender que as necessidades do outro e desenvolver sentimentos de solidariedade.

Capoeira Atividade Lúdica

Além do “faz de conta”, é importante o investimento em psicomotricidade – corpo e movimento são inseparáveis. E é uma forma de dar a conhecer o mundo. Para tanto, é importante que as crianças tenham espaço disponível na escola para correr, para brincar, para exercer movimento sozinha e em conjunto.Além disso, é muito comum que as escolas trabalhem as cores no espaço, como forma de ensino para as crianças.

“A brincadeira cria para as crianças uma "zona de desenvolvimento proximal" que não é outra coisa senão a distância entre o nível de desenvolvimento real, determinado pela capacidade de resolver independentemente um problema, e o nível de desenvolvimento potencial, determinado através da resolução de um problema sob a orientação de um adulto ou com a colaboração de um companheiro mais capaz”, Vigostsky.

No entanto, a partir de certa idade, geralmente em torno dos 6 anos, é comum o abandono das atividades lúdicas nas escolas, dando preferência ao desenvolvimento de um conhecimento técnico acerca das “disciplinas”. Este método, focado na cobrança de resultados e de memorização de conteúdos contrasta com o que foi desenvolvido enquanto trabalho pedagógico na idade anterior, em que as atividades lúdicas eram o centro do aprendizado. Para muitas crianças, esta inversão repentina no modelo de aprendizado pode ocasionar quebras no desenvolvimento da autoestima e concentração e, assim,no processo cognitivo, aogerar dificuldade de assimilação das informações.

De fato, as atividades lúdicas são importantes do ensino infantil até o ensino superior, pois promove a imaginação e o desenvolvimento de soluções para problemas diversos. Além da descoberta de possibilidades, já que são construídas a partir da vivência de sentimentos positivos, e isto libera a mente para cogitar um universo mais amplo.A teoria piagetiana vai propor modos de promover o desenvolvimento da criança e do jovem em suas diferentes etapas de vida. Para ele, as pessoas compreendem quando é dado um sistema de regras onde podem elaborar suas ações com liberdade, que vão aumentando sua complexidade com o passar das idades da criança. Em sua teoria, a infância conta com a fase sensório-motor (baseado na repetição pelo prazer), pré-operacional (repetição e início de assimilação das regras), e operacional (conta com um sistema de regras mais complexo em que os infantes priorizam a cooperação).

Por muitos anos, as atividades lúdicas foram utilizadas de forma recreativa, apenas para o tempo livre em sala de aula. No entanto, nos últimos anos foi debatido para elaboração dos PCN’s (Parâmetros Curriculares Nacionais) o uso de atividades lúdicas no currículo de ensino infantil. São muitos os desafios em sala de aula e promover atividades lúdicas pode ser um ponto de dúvida. Para o educador, as atividades lúdicas podem despertar reflexão acerca do desenvolvimento de seus alunos e ser uma excelente oportunidade para aperfeiçoar sensibilidades e de despertar potenciais nas crianças. Com brincadeiras, o conhecimento fica mais leve e pode ser construído junto a criança. Entendendo que cada criança é diferente e que existem pessoas com deficiência, inclusive promovendo um entendimento coletivo e promovendo inclusão atitudinal. Para todas elas é preciso olhar com atenção.

O trabalho do professor nas escolas não é feito de maneira isolada. Ele é pensado em de maneira integrada para desenvolver cada aluno em sua particularidade – o professor trabalha tanto junto a equipe escolar, quanto juntos aos pais e responsáveis. Para que o trabalho infantil possa seja desenvolvidonesta rede, há necessidade de tempo e espaço para realizar reuniões cotidianas com esta rede de amparo que sustenta a formação da criança, lidando com as realidades específicas que lhe atravessam.

É importante também contar com a colaboração dos pais na aplicação de atividades lúdicas. Trazê-los para participar junto também, afinal a educação infantil se complementa e amplia dentro de casa com a vivência do cotidiano infantil e com suas fontes de afeto e aprendizagem. Quando os pais tomam consciência da importância das atividades lúdicas no desenvolvimento dos filhos, o proveito escolar se profundiza e gera melhores resultados.

São exemplos de Atividades Lúdicas:


- Criando a criatividade: apesar de as crianças terem a tendência de entender por meio de associações mais livres, a criatividade é uma faculdade que se desenvolve na formação dos indivíduos. É a partir dela, que as crianças encontram soluções para problemas, e que dão corpo e som às suas ideias. Para desenvolvê-la é possível usar métodos como pintura, desenho em tracejados ou se estes derem muito trabalho, realizar colagens. Também através da música, de colocar as crianças em acesso aos instrumentos.

- Construindo identidades: a contação de histórias seja diante dos livros didáticos, seja por meio de fantoches ou de massinhas de modelar pode ajudar as crianças a desenvolver a imaginação e entender como eles concebem valores neste período da vida. A contação é um método que faz muito sucesso entre as crianças. Também no jogo “Quem é você?”a criança performa diferentes atividades profissionais, animais e pessoas e é um modo de criar referências para os pequenos.

- Integração e amizade: é muito importante e bem-vindo pelas crianças desenvolver atividades coletivas em que elas possam partilhar do que fizeram ao longo do dia, de como são seus brinquedos em casa, quem são as pessoas que as crianças amam. Falar sobre o universo pessoal é uma necessidade para todos os indivíduos e promove uma relação de troca e confiança.